domingo

Toda a paixão que ainda existe para contar

Publicado a 06-01-2009
"A vida não é medida em minutos, mas em momentos"
Tagline do filme The Curious Case of Benjamin Button, de 2008, escrito por Eric Roth, realizado por David Fincher e protagonizado por Brad Pitt http://www.imdb.com/title/tt0421715/

O Edifício Magnólia completa no dia de hoje um ano de existência.
A história que, tal como prometido, não era suposto ter um fim, mantém-se viva. A história que ainda gosto de postar e contar, continua a ser uma grande aventura. Faz hoje um ano que se abriu a porta deste lugar que pretendeu trazer uma lufada de originalidade ao mundo da blogosfera, especialmente na temática erótica. Espero, que ao fim de um ano, esse objectivo ainda se mantenha desperto.
Fará amanhã um ano que se deu a conhecer Helena e Rodrigo, o casal mais que perfeito à beira da ruptura. Daqui a dois irão passar 365 dias desde que se cuscou a entrada no seu novo apartamento de Maria José, a professora universitária quarentona, humilhada por vinte anos de casamento. Três dias depois, comemora-se a primeira revelação da vida de Lúcia, jovem universitária que se apaixonou pela sua colega de casa, Tania. Ao quarto dia contado a partir de hoje, irão passar doze meses desde que foi dado a conhecer o lar de Afonso e Laura, um casal de idades distintas mas pensamentos comuns, apaixonados pela partilha. Faltam só cinco dias para celebrar a postagem da novel história de Rafael, um instrutor de equitação, atraente e irresitivel para as suas vizinhas. E ao sexto dia depois da anuidade do blogue, há lugar para felicitar Ana, a deslumbrante acompanhante de luxo que mora sozinha com as suas máscaras. Claro que o Edifício Magnólia também conta as suas histórias no Espaço Magnólia, na garagem, no elevador e na casa das máquinas e no jacuzzi no andar superior, mas é dentro destes seis apartamentos que tem residido a magia destas personagens.
Ao fim de um ano, contaram-se cerca de 20 histórias para cada inquilino. Foram 126 posts em que se procurou ser sempre mais surpreendente na próxima postagem do que na anterior. As opiniões podem divergir, mas na opinião deste humilde narrador, creio que houve um esforço para assim o tentar efectuar. E se o ritmo inicial de postagem era feito com carácter diário, nos últimos meses houve um significativo decréscimo de postagens. Em momento algum, durante este ano, estes doze meses, estas cinquenta e duas semanas, estes trezentos e sessenta e cinco dias, houve alguma procura em desistir. Houve desmotivações, algum cansaço certamente, até um certo desnorte. Mas nunca desistir. Porque o Edifício Magnólia surgiu de uma vontade imensa de narrar ideias íntimas, desenvolver conceitos, expandir a mente. E isso é mais forte do que qualquer desmoralização ou inconveniência material. Adoro fazer isto. Se pudesse vivia disto. Ainda não posso. Mas se pudesse, este era o meu lar, o meu ar. Existem outros projectos paralelos ao Edifício que também necessitam de dedicação, tempo e alguma coragem. Se algumas vezes o Edifício parece esmorecer, isso deve-se às limitações que decorrem de tanto projecto. Mas um desses projectos é justamente este. Por isso, posso certamente dizer que não se prevê que o Edifício vá encerrar brevemente. Não está previsto. Não irá acontecer. O Edifício Magnólia será eterno.
Mesmo para o reduzido número de leitores frequentes que o blogue possa deter, há orgulho no trabalho feito. Imaginava fazer muitos posts. Não julgava era que fosse possível fazê-los. Pressupunha alguns leitores. Não poderia era pedir que fossem tão bons leitores. Desejava manter alguma qualidade e distinção. Não exigia é que ela fosse distinguida. Outros voos foram sonhados. Esses ainda não foram conquistados. Haverá tempo. O Edifício Magnólia quer ser sólido. Quer estabelecer-se e sorrir à surpresas que possam ir aparecendo. Acima de tudo, acredito no produto e é um entusiasmo saber que há mais quem acredite neles. E a todas essas pessoas que nele depositam confiança para cuscar algumas vezes, gostava que pudessem ler este post, numa espécie de agradecimento por, seja de que forma for, se identificarem minimanente com algum aspecto do Edifício.
Naturalmente que um blogue, seja ele de que matéria for, sobrevive e cresce à conta dos visitantes. Quer em número, quer em qualidade. Continuo a não querer 1000 pessoas a saberem que o Edifício existe. Continuo a não querer que 100 pessoas tenham visto o titulo do último post. Mais do que tudo, quero que 10 pessoas, ao fim deste ano, tenham vivido intensamente - como se estivessem dentro do Edifício - pelo menos uma das mais de cem histórias que partilhei. Se isso acontecer, sinto-me reconhecido.
E porque este post de comemoração também é de quem lê, de quem aguarda com expectativa por uma nova história e de quem comenta, também esta "semana" haverá a entrega da já "habitual" Menção Especial Magnolium. Este singelo prémio foi criado para promover a participação de quem sente as histórias do Edifício mas nem sempre tem coragem de comentar ou não encontra algo a dizer. Nem sempre é fácil eleger um bloguista ou um leitor, até porque muitas vezes não é unânime a escolha, ou o legítimo mencionado já foi designado. Não sinto que seja ainda a altura de repetir algumas distinções, mesmo que parecesse justo. Esta "semana", após alguma ponderação, decidi adiar a repetição de uma nomeação, para a entregar a alguém que já há imenso tempo comenta no Edifício e nunca teve oportunidade de a receber. E apesar da Lize ter deixado sempre comentários muito gratificantes, a Menção Magnolium esta "semana" vai para o Shelyak. Porque ele tem sido um dos nossos pioneiros. Porque todos os moradores sabem que ele nutre um carinho especial pelas cusquices que andam aqui dentro. Porque faz sentido dar um pouco do Edifício ao administrador de um blogue, em si dinâmico e original. A Menção Magnolium é-lhe então entregue em nome do Rodrigo e da Helena, os quais o Shelyak tanto estima.
Não há tempo para olhar para trás. Alguns moradores ainda o fazem, alguns querem viver todo o presente, mas a maioria deles olha para o futuro com alguma ansiedade e até desejo. Porque eles sabem que a sua vida transforma-se nos momentos vividos, também eles não querem deixar de partilhar aquilo que sentem, aquilo que vivem, aquilo que ambicionam, aquilo que provam e acima de tudo aquilo que os consome de uma forma demasiado intensa. Novas histórias estão para surgir. Nada se esgotou. Tudo se mantém muito quente. Espero que continue por aqui. Entre nesta rua, espreite pela porta de entrada, se preferir tome um café no Espaço, ou se quiser escolha uma campainha e certamente alguém o deixará entrar. Sente-se, deite-se, ou deixe-se ficar a pé. Devore cada pedaço, delicie-se com cada instante de prazer, guarde cada resto de sensualidade que ainda sobrar. O Edifício Magnólia quer continuar a recebê-lo. Isto ainda não é o fim...

12 comentários:

Lize disse...

Sem dúvida que esse objectivo continua desperto. :) Ninguém que aqui vem diz que o texto foi demasiado erótico ou pornográfico (ou se diz não dei por isso). É tudo escrito de maneira que até as mentes mais fechadas devem ser capazes de conseguir ler pelo menos alguns posts. Penso eu, digamos :P Não tenho uma mente fechada, por isso não posso falar como se tivesse :P
Não acompanho o Edifício à um ano. Talvez à 6 meses. E li tudo numas 3 semanas, e desde então fiquei rendida aos moradores e à história que o narrador nos conta. Fiquei toda orgulhosa do meu prémio Magnolium :P E não estou à espera de repetições. Se aparecer, volta a ser com muito orgulho :P Mas espero até que os comentários sem fim a toda a hora voltassem a aparecer, como costumavam ser dantes. Prefiro que hajam outras pessoas dignas de o receber, em vez de leitores a receberem mais do que uma vez. Mas se isso acontecer, não me vou queixar :P
Ainda bem que não é o fim. Apesar da distância entre posts que tem havido nos últimos tempos (não na última semana, atenção :P), é sempre um prazer enorme saber que há um post novo e lê-lo de fio a pavio. Este blog foi um incentivo (não o único, talvez nem o mais importante, mas foi) a eu criar o meu último A Objectiva do Ser. Sempre que escrevo algo erótico, utilizo expressões que tu utilizas. Às vezes sem dar por isso até. É sem dúvida alguma a minha maior inspiração quando escrevo esse género de ficção, ou realidade. E é dos blogs que mais gostei de acompanhar até agora, e onde sei que escrevi os melhores comentários e que reflectem mais aquilo que realmente acho. E voltando ao início, o teu objectivo foi pelo menos conseguido comigo, porque pensei em coisas, realidades e acontecimentos em que nunca tinha pensado; discuti-os com amigos ou namorado; fizeram-me olhar para certas coisas de outra maneira, ou formar uma opinião sobre temas como traição, acompanhantes, ou relações homossexuais.
Ainda bem que não é o fim :)


Beijocas

Lize disse...

E parabéns Shelyak ;) Sem dúvida mereces o prémio :)

P.s.: As hiperligações para os nossos blogs não estão a funcionar :P

Mais uma vez, beijocas.

Shelyak disse...

Bem!!!! Uma coisa fiquei eu a saber hoje! (e penso no tal mistério sobre qual das histórias é a verdadeira): quem está desse lado é alguém do sexo masculino - pode ser casal, claro - o que exclui já alguns casos... :)
Merci pela distinção e, realmente, desde o primeiro dia que por aqui tenho andado, alegremente.
Notei que, nos primeiros tempos, o ritmo dos posts era bastante intenso e difícil de aguentar. Talvez por serem agora tão espaçados, o número de leitores que deixam comentários se tenha reduzido (falo inclusivé de mim próprio).
Não sei se será possível mas talvez tentar fazer um post por semana e, melhor ainda, a ser publicado em dia mais ou menos certo, por exemplo às sextas ou algo assim, a fim de criar habituação (digo eu).
Os temas têm sido belíssimos e quanto mais sofisticados forem, mais excitantes se tornam...
No sexo, para ser vivido em toda a sua plenitude, a componente mental deverá ser sempre a mais poderosa (o que não está ao alcance de todos... pelo contrário...).
Um abraço que aqui deixo e keep it up!!!!

Lize: merci pelo teu comentário, no que me diz respeito :)

Joao disse...

Este é, sem dúvida, o BLOG! Leio este blog através de feed e por isso pouco comento.
Acompanho o dia-a-dia do edificio desde o seu 3º ou 4º dia... e desde logo me identifiquei com as ideias do narrador... sensual, erotico, pertinente... ler é um prazer e todos os dias abro o Google Reader à espera de ter uma actualização do Edificio... nos últimos tempos é muito raro...
... mas se o facto de vir deixar um comentário a cada post ajudar, então virei!
Porque este é... o BLOG!

PARABÉNS!

Magnolia disse...

Antes de mais, o post não foi feito em tom de critica, antes de retrospectiva do que aconteceu no último ano e esencialmente nos últimos meses. Até porque, é deste lado que existe responsabilidade pelo que acontece entre estas paredes.
LIZE, o fim só chegará num momento especial e bem consumado :)
A distância entre posts diminuiu esta semana, mas infelizmente não será hábito. Pelo menos para já. Irão haver certamente maior frequência de posts em 2009, mas sem certezas ou carácter fixo.
E ainda bem que o Edifício serviu de influência para o teu pensamento. Mais uma vez, agradeço as tuas constantes palavras. Tu também fazes parte do Edifício.
beijinhos
SHELYAK, o teu palpite poderá estar certo...ou não :). No entanto, seja homem, mulher ou casal, isso não significa que o Narrador faça parte do Edifício, no papel de uma personagem. Pode não ser, até porque pode ter um distanciamento suficiente para ver aquilo que acontece n história verdadeira com neutralidade, mas também com paixão.
A tua sugestão é boa. Claro que é boa. Mas não poderia prometer uma carácter regular na postagem, num dia fixo. Vou procurar que seja semanal ou no máximo duas semanas. Mas novamente, sem promessas. E quanto aos temas, quem narra tem esse propósito. Aprofundar as relações e emoções através dos temas, que apesar de detalhados e especificios, tentam ser rotineiros.
JOÃO, dos bons comentários que temos recebido. Agradeço-te! Valeu mesmo a pena.
Se deixares um comentário a cada post, naturalmente o Edifício terá força para regressar tão oportunamente quanto possível. E percebe-se que com o Google Reader seja mais dificil poder vir a comentar. A tua presença a cuscar também é essencial e o importante é que o que aqui ocorre te possa de alguma forma captar a atenção.
Mais uma vez, agradeço-te o acompanhamento e as palavras.

luafeiticeira disse...

Antes de mais, os parabéns ao Shelyak que eu sei que te acompanha.
Mas deixa-me dizer que foste demasiado humilde neste texto, porque o teu blogue não merece que seja lido por poucas pessoas, o teu blogue é dos melhores que por aí anda. Então, porquê poucas pessoas a comentar? deves estar tu a pensar. A razão principal já a apontou o Shelyak; de início tu postavas deamasiado, não dando tempo a que as pessoas te pudessem acompanhar, pois estar uma semana sem te ler seria, pelo menos, perder 5 longos textos e depois ou desistiam ou acontecia-lhes o que me acontecia a mim: ficava sem tempo para postar eu também, sem tempo para ler outros blogs, etc. Agora, é difícil teres novos leitores, porque se pressupõe que se conheça a história de cada inquilino e ler tudo desde o 1º..... Daí que te tenha pedido para pôres uma sinopse junto ao título do blog.
jocas e agora sim vou dormir, não sei é como me vou levantar amanhã, por causa deste atraso que tinha em relação à leitura de magnolia.

Joao disse...

Concordo com o que disse a Lua: "Mas deixa-me dizer que foste demasiado humilde neste texto, porque o teu blogue não merece que seja lido por poucas pessoas, o teu blogue é dos melhores que por aí anda".

É sem dúvida um excelente blog, para quem o acompanha mais ou menos desde o inicio... já o recomendei a alguns amigos e todos eles dizem que é dificil, nesta altura do campeonato, seguir a história...

A ideia da sinopse dada pela Lua é muito pertinente.

Recordo-me que há alguns meses atrás uma leitora deste blog fez, no seu blog, uma sinopse da história... é uma questão de ir pesquisar para saber quem foi... provavelmente a Lua, não?

que tal recuperar e colocar aqui?

hum?...

P.S. - aguardo impacientemente um novo post...

Lize disse...

:P Eu fiz uma sinopse da história, mas não fui a única...


Beijocas

Magnolia disse...

LUA FEITICEIRA, às vezes sei que pareço valorizar demasiado a questão dos comentários. Naturalmente sabe bem a qualquer bloguista ouvir o que os outros têm para dizer. Mas mais uma vez, independente do número, privilegio ler os bons comentários ( elogios ou criticas ) a um número imenso de comentários. É para isso que serve o Magnolium.
Nessa base, sei que a recompensa dos comentários também provém do que o bloguista se esforça por fazer, mesmo que possa haver qualidade. Há imensos blogues que acompanho, de qualidade imensa, dos quais pouco comento. Por isso, só posso entender. Logo, não me posso queixar. Mais uma vez, tudo isto é apenas uma questão de sobrevivência, até porque o último post foi feito com base no incentivo destes últimos comentários.
Quanto às soluções...não é possivel agradar a gregos e a troianos. Além disso, nem a mim consigo agradar. O ritmo inicial hoje parece uma utopia, mas gostava de repetir.
Quantos aos novos leitores, ou aos leitores afastados, eu sei que preciso de uma sinopse. Mas não é fácil. Primeiro porque me é difi´cil fazer sinopses ou resumir. Segundo, porque creio não ser demasiado neutro para o fazer coerentemente. Posso tentar e irá acontecer. Isso ou aguardar por algo tão poderoso quanto as sinopses que alguns leitores tão caridosamente já fizeram :)
beijinhos - e uma hora e meia a ler o Edifício pode ser prejudicial. Ao quê, não sei.
JOÃO, o tempo dirá se é dos bons blogues que podem estar activos na rede. :)
Quantos aos amigos a quem recomendaste, têm razão em ser dificil acompanhar a história. Mas de qualquer forma, muitas vezes não é necessário acompanhar a história. Talvez seja bom cuscá-la a meio. Não é isso que se faz com a vida dos vizinhos? :)
Posso recuperar essa sinopse, mas talvez tenha que ser actualizada. Mas é uma boa possibilidade para um próximo post de Narrador.
P.S. - mais uma vez, o ultimo post foi antecipado e apressado, tal era a motivação que estes últimos comentários proporcionaram. Por isso, desde já o meu agradecimento.
LIZE, uma nova sinopse feita por ti seria um privilégio para a vida do Edifício :)
beijinhos.

Sanxeri disse...

Adorei este blog.

Escreves de uma forma simples mais muiti intensa. Descobri-te agora, mas prometo voltar.

Sarah disse...

É bom saber que o Edifício Magnólia continua de pé e que está aqui para ficar, eternamente! É dos blogs que venho lendo desde o início (mesmo não comentando, porque nem sempre é fácil comentar com banalidades textos tão bons...).
Espero novas histórias, espero o calor que emana deste edifício, quero entrar em todas as portas e, sentada, ver o desenrolar de cada história...
Keep up the good work!!
Estamos aqui para ler e apreciar, sempre!
beijos doces

Magnolia disse...

SANXERI, agradeço-te a visita. Volta sempre que te for possivel. Deste lado irá tentar-se sempre haver simplicidade com a intensidade possível.
SARAH, eternamente é dificil. Longinquo é o objectivo. Veremos. Eu sei que nem sempre há paciência para comentar. Mas claro que é sempre bom saber da tua presença.
beijinhos.